Histórico

CÂMPUS CAMPOS DOS GOYTACAZES


O Câmpus Campos dos Goytacazes – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro: foi criado em 1991 com a transferência da estação experimental do antigo PLANALSUCAR para a UFRRJ. O Câmpus Campos dos Goytacazes responsabiliza-se pela continuidade da pesquisa no setor canavieiro e representa um importante centro de apoio ao ensino, à pesquisa e à extensão agropecuária nas regiões Norte e Noroeste Fluminense.

A pesquisa canavieira no Brasil foi incrementada a partir de 1973 com a criação, pelo Instituto do Açúcar e do Álcool, do Programa Nacional de Melhoramento da Cana-de-açúcar – PLANALSUCAR, que, durante 17 anos, desenvolveu pesquisas exclusivamente sobre a agroindústria da cana-de-açúcar, em todo o território nacional. Durante este período foram obtidos avanços significativos no desenvolvimento da tecnologia agrícola e industrial, com a introdução e seleção de novas variedades de cana-de-açúcar, o aperfeiçoamento do uso de fertilizantes e corretivos, a introdução do controle biológico no combate a pragas, a viabilização do uso agrícola de resíduos da indústria, o aperfeiçoamento das técnicas culturais, etc.

Com a extinção do IAA-PLANALSUCAR em 1990, as atividades técnico-científicas, o patrimônio e o pessoal da Coordenadoria Regional Leste, foram transferidos para a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, que assumiu a responsabilidade pela continuidade dos trabalhos de pesquisa com cana-de-açúcar nos Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo e nas regiões nordeste de Minas Gerais e sul da Bahia. Cabe ressaltar , que a unidade incorporada pela UFRRJ, agora denominada Câmpus Campos dos Goytacazes, é a única nesses Estados, com a finalidade principal de desenvolver pesquisas com a cana-de-açúcar. Desta forma, os trabalhos têm sido aperfeiçoados com a integração do corpo técnico e do acervo da Universidade ao processo de geração e difusão de novas tecnologias.

Visando preservar o caráter nacional da pesquisa canavieira, desenvolvida anteriormente pelo PLANALSUCAR, as Universidades Federais de São Carlos, Alagoas, Sergipe, Paraná, Viçosa, Rural do Rio de Janeiro e Rural de Pernambuco, que absorveram o PLANALSUCAR em suas regiões, criaram a REDE INTERINSTITUCIONAL PARA O DESENVOLVIMENTO DO SETOR SUCRO-ALCOOLEIRO – RIDESA, cujas ações priorizam o intercâmbio técnico-científico. Ainda no contexto da RIDESA é mantida a estação de Floração e Cruzamentos, localizada na Serra do Ouro, em Alagoas, que anualmente fornece sementes verdadeiras dos cruzamentos desejados, para todos os componentes da Rede.

Individualmente cada Universidade, integrante da RIDESA, tem procurado interagir com a iniciativa privada, usinas de açúcar e/ou destilarias de álcool, através de convênios com o objetivo de garantir as atividades de pesquisa para atender à demanda regional.

A equipe do Câmpus Campos dos Goytacazes cuja sede localiza-se em Campos dos Goytacazes/RJ com atuação nos Estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais e Sul da Bahia, gerou e difundiu inúmeras inovações tecnológicas, dentre as quais merecem ser destacadas:

. Liberação de 7 novas variedades de cana-de-açúcar para a região;
. Implantação do controle biológico da broca e da cigarrinha da cana-de-açúcar;
. Determinação de curvas de calibração de P e K para recomendação de fertilizantes;
. Racionalização do uso de Nitrogênio;
. Determinação de doses ideais para o uso agrícola da vinhaça;
. Adaptação de técnicas para culturas consorciadas com cana-de-açúcar;
. Caracterização dos solos para fins de irrigação;
. Determinação econômica de sistemas de irrigação;
. Aperfeiçoamento dos sistemas de preparo do solo e tratos culturais;
. Racionalização do uso de herbicidas;
. Coordenação da implantação do sistema de pagamento de cana pelo teor de sacarose.

Além destes resultados de pesquisa destacam-se os trabalhos de difusão de tecnologia e treinamento de pessoal, que resultaram em inúmeros convênios com entidades de classe, eventos especiais, cursos, palestras, etc. No fornecimento de produtos e serviços vale ressaltar a produção de mudas sadias, a produção de inimigos naturais para o controle biológico e as análises de solos, fertilizantes, água, resíduos e de cana-de-açúcar.